MATIAS CAVALCANTI COMO SUJEITO DISCURSIVO, EM CORONEL DE BARRANCO

Autores

  • Jamescley Almeida de Souza UNINORTE/Laureate Universities
  • Francisca de Lourdes Souza Louro ESBAM

Resumo

O texto apresenta uma abordagem discursiva sobre o romance amazônico Coronel de Barranco (1970), escrito por Cláudio de Araújo Lima. Procura relacionar a obra à sua exterioridade, trabalhando os limites do texto como parte do processo de significação. A corrente de estudo escolhida — dentre as três propostas por Michel Pêcheux para a da Análise do Discurso — foi o tipo de sujeito do discurso. O objetivo é delinear o sujeito discursivo da narrativa do romance, representado pela voz de Matias, narrador e protagonista. Procurará responder a seguinte ordem de questão: que identidades são assumidas pelo sujeito discursivo da narrativa? A partir de quais condições de produção essas identidades enunciam? Em que formações discursivas ou ideológicas esse sujeito (o narrador) se inscreve? Que vozes sociais se fazem presentes em seu discurso?

Biografia do Autor

Jamescley Almeida de Souza, UNINORTE/Laureate Universities

Graduado em Letras – Língua Inglesa (UNINORTE/Laureate Universities).

Francisca de Lourdes Souza Louro, ESBAM

Doutora em Poética e Hermenêutica pela Universidade de Coimbra.

Downloads

Como Citar

Souza, J. A. de, & Louro, F. de L. S. (2015). MATIAS CAVALCANTI COMO SUJEITO DISCURSIVO, EM CORONEL DE BARRANCO. Revista Decifrar, 3(5), 162. Recuperado de //www.periodicos.ufam.edu.br/index.php/Decifrar/article/view/1085

Edição

Seção

Outros Ensaios