Uma pedagogia discursiva contra-hegemônica

  • Rodrigo Oliveira Fonseca Universidade do Estado da Bahia / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia

Resumo

Neste artigo extraímos do quadro teórico da Análise Materialista do Discurso (proposta por Michel Pêcheux e pela equipe de pesquisadores que ele reuniu) algumas questões pertinentes à prática docente e sua relação com as oposições ideológicas binárias que atravessam, organizam e estabilizam o campo dos dizeres. Das primeiras ambições em torno da constituição de uma prótese de leitura materialista, a teoria pecheutiana avançou (mas também recuou) para a ideia de provocação à leitura, abertura para outras leituras e para a compreensão de outros sentidos presentes e possíveis no interior das dissensões históricas e ideológicas. Ao final do texto, de modo consequente ao seu desenvolvimento, enumeramos três princípios do educador analista do discurso.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##
Historiador analista do discurso, pesquisador da Fapesb na modalidade Desenvolvimento Científico Regional (DCR-CNPq), em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Estudo de Linguagens da UNEB, com projeto sobre as heranças da Conjuração Baiana de 1798 nas revoltas soteropolitanas do início do século XIX.
Publicado
2014-02-03
Como Citar
FONSECA, Rodrigo Oliveira. Uma pedagogia discursiva contra-hegemônica. Revista Eletrônica Mutações, [S.l.], v. 5, n. 8, fev. 2014. ISSN 2178-7018. Disponível em: <http://www.periodicos.ufam.edu.br/relem/article/view/598>. Acesso em: 12 nov. 2018.