//www.periodicos.ufam.edu.br/index.php/relem/issue/feed Revista Eletrônica Mutações 2022-09-23T21:31:47+00:00 Gladson Rosas Hauradou; Renan Albuquerque Rodrigues & Amor António Monteiro relemufam@gmail.com Open Journal Systems <p><strong>A Revista Eletrônica Mutações (RELEM)</strong> é um periódico científico-tecnológico semestral ligado à <strong>Faculdade de Informação e Comunicação (FIC), ao Núcleo de Estudos e Pesquisas em Ambientes Amazônicos (NEPAM/UFAM)</strong> <strong>e ao Instituto de Ciências Sociais, Educação e Zootecnia (ICSEZ) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). </strong>Reúne trabalhos inéditos relacionados à cultura, linguagem e espacialidade. As edições se constituem na forma de dossiês temáticos (artigos científicos, resenhas, reportagens, visualidades e entrevistas), com temas relacionados à linguagem (discursos e conteúdos), cultura (comunicação, mídia e cibercultura) e espacialidade (territorialidades, representações e espaços vividos). <strong>Tendo como propósito fomentar diálogos interdisciplinares</strong>, o periódico objetiva publicar textos que levam em consideração o fato dos ambientes sociais representarem modelos políticos e econômicos e, portanto, expressarem lutas e conflitos disseminados no cotidiano.</p> <p>A <strong>Relem</strong>, <strong>ISSN Eletrônico 2178-7018</strong>, foi classificada pelo Sistema Qualis-Periódico da CAPES no Quadriênio 2014/2016, no estrato B4 nas áreas de Geografia, Interdisciplinar e Planejamento Urbano e Regional / Demografia, no estrato B5 na área de Ciências Ambientais, Comunicação e Informação, Psicologia, Sociologia e no estrato C na área de Linguística e Literatura.</p> <p>A classificação afeita ao Sistema Qualis-Periódico da CAPES no Quadriênio 2017/2020 apresenta o <strong><em>QUALIS CAPES: B3 (Single Qualis 2019)</em>. </strong>Esta classificação ainda está em fase conclusão para ampla divulgação.</p> <p><strong><em>Está em processo de revisão da política editorial de modo a ampliar o espectro de alcance científico.</em></strong></p> //www.periodicos.ufam.edu.br/index.php/relem/article/view/10918 Efeitos de sentido do medo no trabalho em enfermagem face ao risco de morte por covid-19 2022-09-19T15:15:27+00:00 Sóstenes Ericson sericson1@hotmail.com Diego de Oliveira Sousa diego.souza@arapiraca.ufal.br Rhayssa Irlley Pinheiro Pereira rhayssa.pereira@arapiraca.ufal.br Bruna Sonally Santos de Omena brunasonally@gmail.com Dayana Pimentel da Silva dayanapimentelas2011@gmail.com <p align="justify"><span style="font-family: Times New Roman, serif;"><span style="font-size: small;">No capitalismo, o trabalho adquire significados distintos, e seus principais objetivos visam à obtenção de lucro e acúmulo de riquezas, por meio da exploração da força de trabalho. Durante a pandemia de covid-19, observamos agravamento e maior notoriedade da precarização do trabalho em enfermagem, pela atuação na linha de frente do combate ao novo coronavírus, expostas não apenas ao risco de adoecimento, como também ao medo constante de morrer e/ou da morte de entes queridos. O objetivo desta pesquisa foi estudar os efeitos de sentido do medo no trabalho em enfermagem face ao risco de morte por covid-19.</span></span> <span style="font-family: Times New Roman, serif;"><span style="font-size: small;">Trata-se de uma pesquisa de campo, de abordagem qualitativa, com recorte de análise extraído de grupos focais e analisados segundo uma perspectiva discursiva. A análise demonstrou que o medo da morte produziu efeitos de sentido não apenas no processo do trabalho em enfermagem, mas também nas relações sociais com outros componentes do convívio dessas trabalhadoras.</span></span></p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eletrônica Mutações //www.periodicos.ufam.edu.br/index.php/relem/article/view/10943 Deuda, Covid-19: 2022-09-23T21:31:47+00:00 Rebeca Oliveira Santana rebeca.oli89@gmail.com Gonzalo Ubilla Fernández g.ubillafernandez@gmail.com Ramiro Jacinto Chimuris Sosa ramirochimuris@gmail.com <p align="justify"><span style="font-family: Times New Roman, serif;">La Crisis económica, social, sanitaria, civilizatoria, ya estaba cuando llegó la “pandemia”, el Covid-19 la visibilizó y la profundizó. Los Estados y sus instituciones rápidamente priorizan la salvación del gran capital privado y sus ganancias, manteniendo el mismo comportamiento desde hace más de doscientos años, aumentando el endeudamiento público, y el déficit fiscal. Las muertes por hambre o por enfermedades curables cada año a nivel planetario son la expresión de una crisis civilizatoria como consecuencia del modo de producción capitalista. Al igual que el calentamiento del planeta, el denominado cambio climático producido por la emisión cada vez mayor de gases efecto invernadero por utilización a gran escala de fuentes de energía no renovables, y la contaminación del aire, suelos, océanos y acuíferos de agua dulce. El control de los deseos, la creación de necesidades y subjetividades transformaron al trabajador, en consumidor, en endeudado y en esclavo. Los esclavos de la deuda en el siglo XXI, van cediendo progresivamente partes de su libertad al control de un chip, de un código, de un número de barras en la tarjeta de crédito y débito. </span></p> 2022-09-23T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eletrônica Mutações //www.periodicos.ufam.edu.br/index.php/relem/article/view/10935 CIÊNCIA EM DEBATE 2022-09-19T23:37:16+00:00 Gladson Rosas Hauradou gladson@ufam.edu.br <p>Esta edição da Revista Eletrônica Mutações (Relem) caracteriza-se como uma intenção de transposição de barreiras. Em meio aos efeitos da pandemia que nos tomou de assalto desde 2020 (SARS-CoV-2 / Covid-19), pretende-se, nesta publicação, retroalimentar o escopo deste veículo de divulgação científica para estabelecer uma interface na produção do conhecimento.</p> <p>Dentre as barreiras a serem transpostas, destacam-se aquelas de ordem subjetiva, posto que produzir conhecimento, envoltos por perdas em várias proporções, como aquelas irreparáveis, exigiu esforços descomunais de autores/as, revisores/as, editores/as e demais sujeitos que, coletivamente, colaboram para que o conhecimento alcance os espaços necessários ao enriquecimento humano.</p> <p>Reconhecemos que as limitações são muitas e sua matriz encontra solo nas relações contraditórias próprias da órbita do capital. Muitos também são os esforços para que este veículo científico continue contribuindo com o fomento ao debate plural e interdisciplinar, e, deste modo, cumprir com sua função social de disseminar conhecimento com a diversidade de abordagens.</p> <p>Necessitamos manter a publicação contínua com o mínimo de 15 manuscritos. Outra barreira a ser transposta. Essa meta requer que a avaliação por pares ganhe celeridade, o que vimos alcançando com o trabalho voluntário de um conjunto significativo de pesquisadores/as, cujo compromisso com a Relem prezamos. A adoção da modalidade “<em>Fast track</em>” inscreve-se entre as estratégias adotadas para tal.</p> <p>Nesse sentido, iniciamos esta edição com o artigo “Efeitos de sentido do medo no trabalho em enfermagem face ao risco de morte por covid-19” de autoria de Ericson <em>et al</em>., (2021), tema emblemático destes tempos e dos desafios postos à produção do conhecimento na contemporaneidade. Assim, fica o convite para o apreço ao texto e a expectativa em relação aos demais trabalhos que estarão dispostos ao longo dos meses de outubro e novembro de 2022.</p> <p>Boa leitura!</p> 2022-09-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Eletrônica Mutações