Apresentação- Amazônida em Foco

Autores

  • Maria Nilvane Fernandes Universidade Federal do Amazonas – UFAM
  • Kamilla Vieira Universidade Federal do Amazonas- UFAM

DOI:

https://doi.org/10.29280/rappge.v8i1.14730

Resumo

Desde 2022, o Brasil e o mundo tentam retornar à normalidade das instituições, se é que isso é totalmente possível quando passamos a vivenciar um aceleramento da ordem social em um contexto de múltiplas modernidades, nas quais, os seus principais elementos constitutivos normativos e culturais, ainda não foram plenamente constituídos ou tem sido negado, caracterizando o que Rosa (2019) identifica como múltiplas modernidades. Nesse aspecto, esse projeto de Modernidade possui como característica “[...] a substituição da verdade como legado divino para os critérios da ciência como paradigma”. Nesse processo, “A revolução iluminista procurou, como vetor da modernidade, tirar o corpo das mãos de Deus e colocá-lo na mesa para dissecá-lo e desmontá-lo em partes via postura da ciência metódica” (Dantas Junior; Zoboli, 2020, p. 3).

No Brasil, o ano de 2022 significou a idealização da derrota de um projeto autoritário de governo que findou o seu primeiro mandato. O início de 2023, foi a continuidade desse processo com a tentativa de se tomar a força a ordem legislativa o que ficou marcado e registrado nos anais históricos do dia 08 de janeiro, quando houve a tomada do Congresso Nacional com a explicitação da negação da Modernidade. Esse projeto exibiu no aparelho midiático a ampla deturpação da ciência, da urbanidade, da história de um país, de um povo, produzindo a destruição do nosso patrimônio público e da sacralidade do ambiente democrático.

Como parte desse contexto, esses tantos autores, colaboradores, editores e leitores da Revista Amazônida, em conjunto, com os docentes, discentes e demais membros do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) não ficaram à parte do sentimento de indignação que tomou a esfera pública e privada diante do ocorrido no Brasil no início do ano que se encerra. Assim, muitos manifestos foram realizados de maneira subjetiva nos textos produzidos este ano de 2023 em defesa de uma educação plural, interseccional e antirracista.

Biografia do Autor

Maria Nilvane Fernandes, Universidade Federal do Amazonas – UFAM

Pesquisadora contemplada com bolsa para realização de mobilidade acadêmica na Universidad de Buenos Aires para investigação científica sobre o menorismo no ano de 2024 - protocolo 01.02.016301.00872/2024-97. Contemplada em 2023 com bolsa do edital n. 26/2021 de Apoio à Pesquisa Científica no Exterior para cursar o Pós-doutorado na Texas Tech University - TTU. Doutoramento sanduíche com bolsa CAPES, realizado no Instituto de Educação da Universidade de Lisboa - fomento Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior PDSE - 88881.134314/2016-01; Professora Permanente do PPGE. Coordenadora do PARFOR/UFAM (2020-2022). Mestre e Doutora em Educação na linha de Políticas Educacionais; Mestre em Políticas em Adolescente em Conflito com a lei (UNIBAN/SP); Especialista em Educação, Pobreza e Desigualdade Social (UFPR); Especialista em Gestão em Centros de Socioeducação (UFPR); Especialista em Didática e Metodologia do Ensino Superior. Graduada em Pedagogia com habilitação em Orientação Educacional e Supervisão Escolar. Atualmente, professora do Magistério Superior, Classe A, com denominação de Adjunto A, Nível 2, do Departamento de Teoria e Fundamentos (DTF) da Faculdade de Educação (FACED).

Kamilla Vieira, Universidade Federal do Amazonas- UFAM

Fisioterapeuta graduada pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Pós Graduada em Saúde Pública com Ênfase em Saúde da Família pelo Instituto Carreira- PA e Pós Graduanda em Fisioterapia Cardiovascular e Metabólica pela ASSOBRAFIR. Foi pesquisadora da UFAM através do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica/PIBIC. Bolsista da FAPEAM através do projeto Amazônida em Foco. 

Referências

ROSA, H. Aceleração: a transformação das estruturas temporais na modernidade. São Paulo: Unesp, 2019. (2019).

DANTAS JUNIOR, H. S; ZOBOLI, F. O romance que virou filme... Que virou mito: pensando o corpo a partir dos 200 anos de Frankenstein. Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas, [S. l.], v. 4, n. 2, p. 01–11, 2020. DOI: 10.29280/rappge.v4i2.5453. Disponível em: //www.periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/5453. Acesso em: 24 dez. 2023. (2020).

Publicado

11-03-2024

Como Citar

NILVANE FERNANDES, M.; VIEIRA, K. Apresentação- Amazônida em Foco. Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 1–6, 2024. DOI: 10.29280/rappge.v8i1.14730. Disponível em: //www.periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/14730. Acesso em: 19 jun. 2024.