Formação docente para a educação profissional

análise crítica do marco regulatório

Autores

  • Antonio Wherbty Ribeiro Nogueira Universidade Estadual do Ceará- UECE
  • Antonia Solange Pinheiro Xerez Universidade Estadual do Ceará- UECE

DOI:

https://doi.org/10.29280/rappge.v8i1.12714

Palavras-chave:

Formação docente, Educação profissional, Marco regulatório

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar de forma crítica a formação de professores inserida no marco regulatório da Educação Profissional no Brasil na atualidade, com o propósito de subsidiar outras investigações sobre a temática. Entendemos a Educação Profissional (EP) como uma modalidade educativa que encerra questões históricas como o dualismo educacional, o aligeiramento e precarização da formação humana, bem como do determinismo econômico sobre o complexo educativo. A pesquisa filia-se à metodologia qualitativa, com pesquisa bibliográfica e documental, com base em estudos anteriores, como os de Machado (2008), Valle (2008), Santos (2017; 2019), Costa (2016), Carneiro (2018), entre outros; e nos decretos, leis e resoluções que tratam da temática dos anos 2000 à atualidade. Nesse sentido, constatou-se a hegemonia de uma racionalidade técnica instrumental nos documentos oficiais que regulamentaram a formação docente para a Educação Profissional, tornando-a fragmentada, precarizada e atrelada aos princípios ideopolíticos da sociedade do capital em crise.

Biografia do Autor

Antonio Wherbty Ribeiro Nogueira , Universidade Estadual do Ceará- UECE

Mestre em Educação e Ensino (MAIE) pela Universidade Estadual do Ceará (UECE)(2022). Especialista em Gestão Educacional e Práticas Pedagógicas pela Faculdade Única de Ipatinga (2018). Graduado em História pelo Instituto Superior de Educação Ibituruna (2018), em Letras - Espanhol pela Universidade Federal do Ceará (2016) e em Pedagogia pelo Centro Universitário Estácio Ribeirão Preto (2014). Atua como pedagogo na Faculdade de Tecnologia CENTEC - Sertão Central e como Professor da Educação Básica no município de Quixeramobim, Ceará. Pesquisa na área da Educação, com foco na Pedagogia, na Didática, nas práticas de ensino, na Educação Profissional e na Formação de professores.

Antonia Solange Pinheiro Xerez, Universidade Estadual do Ceará- UECE

Possui graduação em Ciencias Sociais pela Universidade Estadual do Ceará (2001), graduação em Programa Especial de Formação Pedagógica pela Universidade Estadual do Ceará (1998), graduação em Direito pela Universidade de Fortaleza (1985), mestrado em Educação, Administração e Comunicação pela Universidade São Marcos (2002) e doutorado em Educação pela Universidade Nove de Julho (2013). Atualmente é professora adjunto da Universidade Estadual do Ceará, professora do mestrado acadêmico (MAIE) da Universidade Estadual do Ceará. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Política Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: educação e trabalho, política educacional, políticas públicas, educação, formação de professores, currículo, educação profissional.

Referências

BRASIL. Concepções, experiências, problemas e propostas. In: Seminário Nacional de Educação Profissional, 3.,2003, Brasília, DF. Anais. Brasília: Ministério da Educação, 2003. p.1-5. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/semina_ept03_anais.pdf. Acesso em: 13 fev.2023.

BRASIL. Decreto nº 2.406/97, de 27 de novembro de 1997c. Regulamenta a Lei nº 8.948, de 8 de dezembro de 1994, e dá outras providências. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/dec2406.pdf. Acesso em: 21 jul. 2021.

BRASIL. Decreto nº 5.154 de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 41 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/decreto/d5154.htm. Acesso em: 13 fev. 2023.

BRASIL. Decreto nº 8.752, de 09 de maio de 2016. Dispõe sobre a Política Nacional de Formação dos Profissionais da Educação Básica. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/decreto/d8752.htm. Acesso em: 21 jan. 2023.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: http://www.mec.gov.br/ semtec/educprof/Legislacomum.shtm. Acesso em: 20 fev. 2023.

BRASIL. Lei nº 11.195, de 18 de novembro de 2005. Dá nova redação ao § 5o do art. 3o da 2005, de 8 de dezembro de 1994. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/lei/l11195.htm. Acesso em: 20 jul.2021.

BRASIL. Lei nº 11.195, de 18 de novembro de 2005. Dá nova redação ao § 5o do art. 3o da Lei no 8.948, de 8 de dezembro de 1994. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/lei/l11195.htm. Acesso em: 20 jan.2023.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de Junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 26 jun. 2014. Seção – edição extra, p.1-7. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm. Acesso em: 20 jul. 2021.

BRASIL. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis n º 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e o Decreto-Lei nº 236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei nº 11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13415.htm. Acesso em: 20 fev. 2022.

BRASIL. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis n º 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e o Decreto-Lei nº 236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei nº 11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13415.htm. Acesso em: 20 jan. 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Parecer CNE/CP nº 07/2020. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional e Tecnológica, a partir da Lei nº 11.741/2008, que deu nova redação à Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=151591-pcp007-20&category_slug=julho-2020-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 19 jan. 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Parecer CNE/CP nº 07/2020. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional e Tecnológica, a partir da Lei nº 11.741/2008, que deu nova redação à Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=151591-pcp007-20&category_slug=julho-2020-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 19 jan. 2023

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP nº 03, de 18 de dezembro de 2002. Institui as diretrizes curriculares nacionais gerais para a organização e o funcionamento dos cursos superiores de tecnologia. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, 23 dez. 2002. Disponível em: http://www.mec.gov.br/semtec/educprof/Legislatecnico.shtm. Acesso em: 22 jan. 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Proposta em discussão: políticas públicas para a Educação Profissional e Tecnológica. Brasília, 2004. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/p_publicas.pdf. Acesso em: 13 fev. 2023.

BRASIL. Ministério de Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP n.º 1, de 05 de janeiro de 2021. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Profissional e Tecnológica. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/resolucao-cne/cp-n-1-de-5-de-janeiro-de-2021-297767578. Acessado em: 07 de jan. 2023.

BRASIL. Resolução CNE/CEB nº 02 de 01 de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/agosto-2017-pdf/70431-res-cne-cp-002-03072015-pdf/file. Acesso em: 20 jan. 2023.

BRASIL. Resolução CNE/CEB nº 2, de 26 de Junho de 1997b. Dispõe sobre os programas especiais de formação pedagógica de docentes para as disciplinas do currículo do ensino fundamental, do ensino médio e da educação profissional em nível médio. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/Res02.pdf. Acesso em: 21 jul. 2021.

BRASIL. Resolução CNE/CEB nº 6 de 20 de setembro de 2012. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional Técnica de Nível. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=17417&Itemid=866. Acesso em: 20 jul. 2021.

BRASIL.Decreto nº. 2.208, de 17 de abril de 1997a. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 42 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/D2208.htm. Acesso em: 02 fev. 2023.

CARNEIRO, Isabel Magda Said Pierre. A formação didático-pedagógica e a práxis dos professores dos cursos tecnológicos: estudo na perspectiva lukacsiana. Fortaleza: 2018. 225p. Tese (Dourado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2018.

COSTA, Maria Adélia da. Políticas de Formação Docente para a EPT. Curitiba: Appris, 2016.

DOURADO, L.F. A reforma do Estado e as políticas de formação de professores nos anos 1990. In: DOURADO, L.F. e PARO, V.H. (Orgs.). Políticas Públicas & Educação Básica. São Paulo: Xamã, 2001. p.281-294.

FREITAS, Luiz Carlos de. Neotecnicismo e formação do educador In: ALVES, Nilda (org.). Formação de professores: pensar e fazer. São Paulo: Cortez Editora, 2011.

FRIGOTTO, G.; FRANCO, M.; RAMOS, M. A gênese do Decreto N˚ 5.154/2004: um debate no contexto controverso da democracia restrita. Trabalho Necessário, Rio de Janeiro, v. 3, n. 3, 2005.

KUENZER, Acácia Zeneida. As políticas de formação: a constituição da identidade do professor sobrante. Revista Educação e Sociedade, Campinas, SP, v.20, n.68, dez. 1999.

KUENZER, Acácia Zeneida. Formação de professores para a educação profissional e tecnológica. Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, p. 497-518, 2008.

MACHADO, Lucília Regina de Souza. Diferenciais inovadores na formação de professores para a educação profissional. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, Brasília, jun. 2008.

MARINHO, Sandra. Para onde aponta a política educacional do governo Lula?: Elementos para uma análise do programa nacional de qualificação social e profissional. In: JIMENEZ, Susana. V.; RABELO, Jackeline (Orgs.). Trabalho, educação e luta de classe: a pesquisa em defesa da história. Fortaleza: Brasil Tropical, 2003.

RAMOS, Marise Nogueira. Concepção do ensino médio integrado. 2008. Disponível em: http://www.iiep.org.br/curriculo_integrado.pdf. Acesso em: 23 jan. 2023.

SANTOS, Deribaldo. Educação e precarização profissionalizante: crítica à integração da escola com o mercado. São Paulo: Instituto Lukács, p. 190-209, 2017.

SANTOS, Deribaldo. Educação profissional: crise e precarização. Marília: Lutas anticapital, 2019.

SAVIANI, Demerval. Escola e Democracia: teorias da educação, curvatura da vara, onze teses sobre a educação política. 36. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2003.

VALLE, B. de B. REIS do. Mesa redonda. Formação de Professores para Educação Profissional e Tecnológica no âmbito da legislação educacional brasileira e do ensino superior no Brasil. Formação de Professores para Educação Profissional e Tecnológica: Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2008.p. 85-108.

Publicado

22-12-2023

Como Citar

RIBEIRO NOGUEIRA , . A. W.; PINHEIRO XEREZ, A. S. Formação docente para a educação profissional: análise crítica do marco regulatório . Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 1–24, 2023. DOI: 10.29280/rappge.v8i1.12714. Disponível em: //www.periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/12714. Acesso em: 24 maio. 2024.