Resenha: como ser um educador antirracista

Autores

  • Rafael Casaes de Brito Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia- UESB
  • Benedito Gonçalves Eugênio Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia- UESB

DOI:

https://doi.org/10.29280/rappge.v8i1.12384

Resumo

A resenha destina-se a exibir o livro “Como ser um educador antirracista” publicado em 2023 pela Editora Planeta Brasil, em que a Professora Doutora Bárbara Carine Soares Pinheiro realiza uma conversa sincera e direta com as instituições familiares e os profissionais da educação acerca da urgência em propor uma agenda antirracista nas práticas educativas e sociais. O ponto alto da obra está na linguagem assertiva de fácil compreensão, que extrapola os muros das universidades, atingindo quem de fato ela deseja. O livro é resultado das experiências da autora como educadora, e idealizadora da primeira Escola Afro-brasileira do Brasil, e aponta direções e possibilidades para uma educação para as relações étnico-raciais positiva, de modo a contribuir para o combate ao racismo.

Biografia do Autor

Rafael Casaes de Brito, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia- UESB

Doutorando em Ensino com ênfase em ensino de ciências pelo Programa de Pós Graduação em Ensino (Rede Nordeste de Ensino - RENOEN) da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (PPGEN/UESB), Mestre em Relações Étnicas e Contemporaneidade (2022) pelo Programa de Pós Graduação em Relações e Contemporaneidade (PPGREC - UESB/ODEERE) a nível de Mestrado Acadêmico com área de concentração em Relações Étnicas, Gênero e Sociedade. Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Feira de Santana (2017). Membro do Grupo de Pesquisa Currículo, Gênero e Relações étnico-raciais (CNPq- http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/7890794917130250). Professor de Ciências e Biologia da educação básica da rede pública e privada. Desenvolvo pesquisas no campo da Educação Decolonial e intercultural, onde pretendo discutir as Relações Étnico-Raciais no Ensino de Ciências e consequentemente no seu Currículo, contribuindo assim para o desenvolvimento de pesquisas sobre formação inicial e continuada de professores para as Relações Étnico-Raciais e de Práticas curriculares decoloniais, Interculturais e antirracistas.

Benedito Gonçalves Eugênio, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia- UESB

Possui graduação em licenciatura em Pedagogia pela Universidade do Estado da Bahia (2002), mestrado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2004) e doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2009). Atualmente é professor Titular da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, atuando na graduação, no Programa de Pós-Graduação-Mestrado Acadêmico em Relações Étnicas e Contemporaneidade e Programa de Pós-Graduação em Ensino-mestrado e doutorado (PPGEN). Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ensino (PPGEN- 2018). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Currículos Específicos para Níveis e Tipos de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: currículo (políticas e práticas pedagógicas para a educação básica), políticas curriculares para o ensino médio, educação das relações étnico-raciais e educação escolar quilombola.

Referências

PINHEIRO, B. C. S. Como ser um educador antirracista. São Paulo: Planeta Brasil, 2023. 160p. ISBN 978-85-422-2125-1.

Publicado

2023-12-22

Como Citar

CASAES DE BRITO, R.; GONÇALVES EUGÊNIO, B. . Resenha: como ser um educador antirracista . Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 1–6, 2023. DOI: 10.29280/rappge.v8i1.12384. Disponível em: https://www.periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/12384. Acesso em: 20 abr. 2024.