Fazedor de amanhecer: uma aproximação entre Perejivanie e o reino encantado

Autores

  • Luana de Melo Ribas Universidade de Brasília- UnB
  • Kátia Oliveira da Silva Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEEDF)

DOI:

https://doi.org/10.29280/rappge.v8i1.12325

Palavras-chave:

Arte, Conto de fadas, Vivência

Resumo

A arte, criação humana, nutre-se na sociedade e dá vazão às emoções, desdobrando-se em inúmeras expressões singulares e com capacidade de transformação do indivíduo em sua unidade afeto-intelecto. A emoção suscitada via experiência estética é um sentimento versado que se delineia em diversas Funções Psicológicas Culturais. A arte, potencialmente, torna-se uma ponte pessoa-meio de forma dialética, impulsionando o desenvolvimento humano. Sendo assim, esse artigo tem como objetivo realizar um estudo teórico, analisando os contos de fadas e perejivanie – vivência, a unidade indivisível pessoa-meio compreendendo como esse processo pode ser um possibilitador do desenvolvimento a partir da relação que a pessoa estabelece com o meio. Nessa perspectiva, apresenta-se a compreensão sobre contos de fadas, bem como as discussões de diferentes autores que, partindo dos estudos de Vigotski, colaboraram para o entendimento de perejivanie. Observa-se, por fim, que esses estudos possibilitam evidenciar como a estrutura utilizada para a escrita dos contos de fadas leva a um movimento que permite atravessar a condição inicial, dando potência ao processo de desenvolvimento, que resulta em uma nova (re)configuração.

Biografia do Autor

Luana de Melo Ribas, Universidade de Brasília- UnB

Doutoranda e Mestre em Psicologia do Desenvolvimento e Escolar pelo Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília - IP/UnB (2021). Psicóloga pelo Instituto de Educação Superior de Brasília - IESB (2011), Especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional pelo IP/UnB (2013) e Avaliação Psicológica pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação - IPoG (2016), com formação em Neuropsicologia pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo - HC/FMUSP (2018). É membro do Grupo de Pesquisa INFANTIA (DGP/CNPq/UnB) e do Círculo Vigotskiano - Grupo de Estudos em Teoria Histórico-Cultural. É professora e atua em clínica, escolas e também como pesquisadora visando compreender o desenvolvimento humano como um todo, considerando sua diversidade. 

Kátia Oliveira da Silva, Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEEDF)

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Brasília, especialista em Educação Infantil pela mesma instituição. Graduada em Pedagogia pela FE/UnB. Professora da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEEDF) com experiência nas áreas de alfabetização e Educação Infantil. Dedica-se a pesquisa e estudos em educação estética, literatura infantil, processos imaginativos e emocionais na infância. Membro do Círculo Vigotskiano. 

Referências

ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: LTC Editora, 1981

BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e Filosofia da Linguagem. 9. ed. São Paulo: HUCITEC, 2006.

_________________. Questões de literatura e estética – a teoria do romance. São Paulo: Unesp, 1998.

BARROS, M. Poesia completa. São Paulo: Leya, 2010.

BENJAMIN, Walter. Livros Infantis Antigos e Esquecidos in Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre a literatura e história da cultura. São Paulo : Brasiliense, 1985.

_________________. Reflexões: a criança, o brinquedo e a educação. São Paulo: Duas Cidades; Ed.34, 2009.

_________________. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura.Tradução Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1996. (Obras escolhidas, v. 1).

BETTELHEIM, Bruno, A psicanálise dos contos de Fadas. São Paulo: Paz e Terra, 1992.

BLUNDEN, Andy. Translating Perezhivanie into English. MCA Symposium on Perezhivanie. 2016.

BONAVENTURE, Jette. O que conta o conto? 2. ed. São Paulo: Paulus, 1992.

CLARÀ, Marc. Vygotsky and Vasilyuk on Perezhivanie: Two Notions and One Word. MCA Symposium on Perezhivanie. 2016.

COELHO, Nelly Novaes. Panorama histórico da literatura infantil/juvenil. São Paulo: Ática, 1998.

COLE, Mike. Perezhivanie in Dictionary of Psychology. MCA Symposium on Perezhivanie. 2016.

COSTA, I. A., BARGBANHA, F. Lutar para dar um sentido à vida. 2. ed. Portugal: ASA, 1991.

CUNHA, Maria Antonieta Antunes. Literatura infantil: teoria e prática. 5 ed. São Paulo: Ática, 1986.

FERHOLT Beth; NILSSON, Monica. Perezhivaniya as a means of creating the aesthetic form of consciousness. MCA Symposium on Perezhivanie. 2016.

GIRARDELLO, Gilka. Voz, Presença e Imaginação: a narração de histórias e as crianças pequenas. In: 26ª REUNIÃO ANUAL DA ANPEd, 2003, Poços de Caldas. Disponível em: http://www.anped.org.br/reunioes/26/trabalhos/gilkagirardello.rtf.

GONZÁLEZ REY, Fernando Luís. Historical relevance of Vygotsky’s work: Its significance for a new approach to the problem of subjectivity in psychology. Outlines, No. 1, 2009.

___________________________. A configuração subjetiva dos processos psíquicos: avançando na compreensão da aprendizagem como produção subjetiva. In: MITJÁNS MARTÍNEZ, Albertina; SCOZ, Beatriz Judith; CASTANHO, Marisa Irene Siqueira. Ensino e aprendizagem; a subjetividade em foco. Brasília: Líber Livros, 2012.

JUNG, Carl. G. Os Arquétipos e o inconsciente coletivo. Petrópolis: Vozes, 2012.

KRAMER, Sônia. A Política do pré-escolar no Brasil: A arte do disfarce. 7ª edição. São Paulo: Cortez, 2003.

VERESOV,Nikolai Veresov e FLEER, Marilyn. Perezhivanie as a Theoretical Concept for Researching young Children’s development. MCA Symposium on Perezhivanie. 2016.

PLATÃO. As leis, ou da legislação e epinomis. Tradução: Edson Bini. 2. ed. Bauru-SP: Edipro, 2010.

PRESTES, Z. R. Quando não é quase a mesma coisa: traduções de Lev Semionovitch Vigotski no Brasil. Campinas: autores associados: 2010.

ROTH, Wolf-Michael; JOURNET, Alfredo. Perezhivanie in the light of the later Vygotsky’s Spinozist Turn Mind, Culture, and Activity. MCA Symposium on Perezhivanie. 2016.

TOLKIEN, J.R.R. Sobre histórias de fadas. São Paulo: Conrad, 2013.

VIGOTSKI, Lev Semenovich. Psicologia pedagógica. Porto Alegre: Artemed, 2003.

________________________. Psicologia da Arte. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

______________________. The problem of the environment. In: VEER, R.; VALSINER, J. (Ed.). The Vygotsky reader. Oxford: Basil Blackwell, 1994. p. 338-354.

______________________. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo, SP: Martins Fontes, 2001.

VON FRANZ, M. L. A interpretação dos contos de fada. 5 ed. Paulus. São Paulo: 2012.

Publicado

2023-10-09

Como Citar

DE MELO RIBAS, L.; OLIVEIRA DA SILVA, K. . Fazedor de amanhecer: uma aproximação entre Perejivanie e o reino encantado. Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas, [S. l.], v. 8, n. 1, 2023. DOI: 10.29280/rappge.v8i1.12325. Disponível em: https://www.periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/12325. Acesso em: 20 abr. 2024.