Imaginação, atividades criadoras e escrita

uma revisão bibliográfica

Autores

  • Maria Carolina Branco Costa Antunes de Oliveira Universidade Estadual de Campinas- UNICAMP
  • Daniele Nunes Henrique Silva Universidade de Brasília- UnB

DOI:

https://doi.org/10.29280/rappge.v8i1.11796

Palavras-chave:

Alfabetização, Letramento, Escrita, Imaginação, Psicologia Histórico-Cultural

Resumo

O artigo apresenta uma revisão sistemática da literatura acerca da temática da imaginação e das atividades criadoras da criança com foco nos processos iniciais de elaboração da escrita, ancorando-se em estudos da Psicologia Histórico-Cultural. Foram considerados artigos, teses e dissertações elaborados entre 2012 e 2022, encontrados em: Banco de Teses e Dissertações da CAPES, Periódicos Eletrônicos em Psicologia (PePSIC) e Scientific Eletronic Library Online (SciELO). A revisão se justificou pela necessidade de analisar a produção científica recente na perspectiva teórico-metodológica em questão, de problematizá-la e de inserir o leitor na rede argumentativa que coloca em perspectiva temas caros à Educação e à Psicologia: desenvolvimento, imaginação e escrita. A busca foi organizada em quatro estágios: i) Identificação (leitura de títulos); ii) Triagem (leitura de resumos); iii) Elegibilidade (leitura dos trabalhos completos) e iv) Inclusão. Os resultados apontaram para o baixo índice de produções bibliográficas que abordam a temática que, embora tenha ganhado maior expressão nos últimos anos, ainda permanecem nucleadas, com discussão conceitual tímida quando considerada a importância do debate. Na conclusão dos dados, pode-se observar que a grande maioria dos estudos não discute a apropriação da escrita como um modo de elaboração criadora, articulada à imaginação, aos processos de simbolização e ao desenvolvimento cultural na infância. Essa lacuna traz implicações para o campo de investigação sobre a alfabetização e restringe uma compreensão mais aprofundada sobre o que é ler e escrever, o que por sua vez, impacta na formulação adequada das políticas públicas voltadas para esse fim.

Biografia do Autor

Maria Carolina Branco Costa Antunes de Oliveira , Universidade Estadual de Campinas- UNICAMP

Mestra em Educação pela Faculdade de Educação - UNICAMP e graduada em Pedagogia pela Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara - UNESP. Realizou intercâmbio acadêmico na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto - Portugal. É especialista em Psicopedagogia Clínica - Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - Universidade de São Paulo (HC-FMRP/USP) e em Educação: ciência, tecnologia e sociedade - Instituto Federal de São Paulo - Campus São Carlos. Atualmente é doutoranda em Educação na Faculdade de Educação - UNICAMP e professora de Educação Infantil na rede pública. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em psicologia da educação, tecnologias digitais, educação bilíngue, alfabetização e educação inclusiva. 

Daniele Nunes Henrique Silva, Universidade de Brasília- UnB

Mestre em Psicologia da Educação (1998) e Doutora em Educação (2006) pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Em 2015, fez Estágio de Pós-Doutoramento no Programa de Psicologia Social da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Professora Associada 1, do quadro permanente da Universidade de Brasília (UNB). Professora efetiva do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Humano e Psicologia Escolar (PGPDE) do Instituto de Psicologia da UNB e professora colaboradora do Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Educação da UNICAMP. Atuou entre 2019 e 2021 como professora visitante na Universidade de Genebra (UNIGE, Faculté de Psychologie et des Sciences de l`Éducation). Pesquisadora bolsista PQ 2 - CAPES. Integra o Grupo de Pesquisa Pensamento e Cultura (GPCULT/UNB), o Grupo de Pesquisa Pensamento e Linguagem (GPPL/UNICAMP) e o Núcleo de Pesquisa Dialética Exclusão/Inclusão Social (NEXIN/PUC-SP). Membro também do GT Psicologia Sócio-Histórica e a Desigualdade Social no Contexto Brasileiro (ANPEPP). Atua no desenvolvimento de duas linhas investigativas, a saber: 1) Diferença, cultura e alteridade: investigação de trajetórias não hegemônicas de desenvolvimento; 2) Imaginação e processos criadores no desenvolvimento humano. O eixo transversal das linhas investigativas é a vivência (perejivanie) na formação dramática do psiquismo, sua dimensão estética e política. Tem publicado diversos artigos e livros no campo da Psicologia e da Educação em periódicos de referência nacional e internacional.

Referências

ALMEIDA, B. P.; KRÜGER-FERNANDES, L.; BORGES, F. T. De espectadora a criadora: imaginação, faz de conta e mídia televisiva no desenvolvimento infantil. Psicologia e Sociedade, CIDADE Rio de Janeiro, v. 32, p.1-19, 2020.

COSTA, M. C. M. da. Práticas de produção de texto numa turma de cinco anos da educação infantil. 2012 A. 169 f. Dissertação (mestrado). Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2012.

BOMFIM, J. C. O papel do brincar na apropriação da linguagem escrita. 2012. 101 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Filosofia e Ciências e Marília, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Alfabetização. PNA: Política Nacional de Alfabetização. Brasília, DF: MEC, 2019.

COSTA, M. T. M. de S. O papel do corpo nas práticas de letramento: um estudo sobre as atividades criadoras na infância. 2012. 129 f. Dissertação (mestrado). Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia. Brasília, 2012.

COSTA, M. T. M. de S. A unidade corpo-mente nas atividades criadoras de brincar, narrar e desenhar das crianças cegas ou com baixa visão. 2018. 225 f. Tese (doutorado). Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia. Brasília, 2018.

COSTA, M. T. M. de; SILVA, D. N. H.; SOUZA, F. F. de. Corpo, atividades criadoras e letramento. 1. Ed. São Paulo: Summus, 2013.

COSTA, M. T. M. de; SILVA, D. N. H. O corpo que escreve: considerações conceituais sobre aquisição da escrita. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 17, n. 1, p. 55-62, jan./mar. 2012 B.

CRUZ, M. N. da. Imaginário, imaginação e relações sociais: reflexões sobre a imaginação como sistema psicológico. Caderno CEDES, Campinas, v. 35, n. Especial, p. 361-374. 2015.

KONDER, L. Marx: vida e obra. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1999.

LURIA, A. R. Curso de Psicologia Geral (2a ed., vol. 1) [Tradução de P. Bezerra]. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira S.A, 1991.

SAWAIA, B. B.; SILVA, D. N H. Pelo reencantamento da Psicologia: em busca da positividade epistemológica da imaginação e da emoção no desenvolvimento humano. Cadernos CEDES, Campinas. Impresso, v. 35, p. 343-360, 2015.

SCALZITTI, C. M. L. Linguagem e infância: relações com o letramento. 2012. 154 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Mato Grosso, Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Rondonópolis, 2012.

SCHLINDWEIN, L. M. As marcas da arte e da imaginação para uma formação humana sensível. Caderno CEDES, Campinas, v. 35, n. Especial, p. 419-433, 2015.

SCHLINDWEIN, L. M.; MARTINS, A. S.; OLIVEIRA, R. D. de. Plunct plact zum: imaginação e criação artística na escola. Caderno CEDES, Campinas, v. 39, n. 107, p. 59-72, 2019.

SMOLKA, A. L. B. A criança na fase inicial da escrita: a alfabetização como processo discursivo. Campinas: Editora da Unicamp, 1989.

VIGOTSKI, L. S. Imaginação e criação na infância: ensaio psicológico - livro para professores. Trad: Zoia Prestes. 1. ed. São Paulo: Ática, 2009.

VYGOTSKY, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

VYGOTSKY, L. S. Obras Escogidas III: problemas del desarrollo de la psique. Madrid: Visor. (Originalmente publicado em 1927), 1995.

VYGOTSKY, Lev S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

ZANELLA, A. Psicologia histórico-cultural em foco: aproximações e alguns de seus fundamentos e conceitos. Florianópolis: Edições do Bosque, 2020.

Publicado

2023-12-22

Como Citar

BRANCO COSTA ANTUNES DE OLIVEIRA , M. C.; NUNES HENRIQUE SILVA, D. . . Imaginação, atividades criadoras e escrita: uma revisão bibliográfica . Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 1–21, 2023. DOI: 10.29280/rappge.v8i1.11796. Disponível em: https://www.periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/11796. Acesso em: 20 abr. 2024.