TRAÇOS DERMATOGLÍFICOS DE INDÍGENAS DO BRASIL CENTRAL E AS LUTAS CORPORAIS TRADICIONAIS

Autores

  • Leandro Santos UFAM
  • Adriano Alberti

Resumo

RESUMO

Este estudo revisitou dados de coletas dermatoglificas realizadas na Terra Indígena do Xingu em 1972. O intuito foi averiguar possíveis marcadores epigenéticos em função da prática ritualizada de lutas corporais (Huka-Huka). Para o escopo desta investigação, foram considerados e segregados dos dados originais somente os grupos alto-xinguanos, reconhecidos pela prática e competição da Huka-Huka na longue durée. Esses povos apresentaram maior predominância de Presilha Ulnar (LU) e Verticilo (W). Verificados, tanto para indivíduos do sexo masculino, quanto feminino. Em conclusão, pôde-se configurar esses achados com a premissa da dermatoglifia no esporte de alto rendimento, isto é, quanto às valências físicas associadas às lutas corporais. Contudo, há necessidade de mais investigações para identificar, por exemplo, o padrão dermatoglífico atualizado desses povos em relação às variáveis observadas.

 

Palavras-chave: Dermatoglifia; Luta Corporal Indígena; Huka-Huka; Alto Xingu; Epigenética.

Downloads

Publicado

2021-10-26

Edição

Seção

Artigos