MODO DE VIDA CAMPONESA: MUDANÇAS E PERMANÊNCIAS NA COMUNIDADE BOM JESUS NA ESTRADA DA EMADE –TEFÉ-AM/Mode of camponesa life: changes and permanences in the community Bom Jesus on the road of EMADE -Tefé/AM

  • Nágila dos Santos Situba Universidade Federal do Amazonas
  • Massilene Mesquita Universidade Federal do Amazonas
Palavras-chave: Modos de vida; camponês; comunidade

Resumo

Esta pesquisa teve como objetivo analisar as mudanças e permanências dos modos de vida camponesa da comunidade Bom Jesus, situada na estrada da Emade, município de Tefé-Amazonas. Neste sentido, as transformações e permanências ocorridas nesta comunidade estão relacionadas à abertura da estrada da Emade (1997) e a instalação da Empresa Amazonense de Dendê na década de 1980. Além disto, outro elemento agregado a essas mudanças é o processo de urbanização que se expandiu em todo o globo terrestre, trazendo consigo transformações nos modos de vida, no cotidiano e na relação cidade e comunidade. Os resultados obtidos apontam mudanças no que se refere aos modos de vida, hábitos alimentares e atividades agrícolas que caracterizavam os camponeses. Além disto, outras atividades se inseriram no cotidiano dos camponeses como: extração de madeira, carpintaria, comércio, produção de carvão, servidor público etc.

Biografia do Autor

Nágila dos Santos Situba, Universidade Federal do Amazonas

Licenciada em geografia pela Universidade do Estado do Amazonas - UEA. Mestra em Geografia pela Universidade Federal do Amazonas - UFAM. Pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas das Cidades da Amazônia Brasileira - NEPECAB.

Massilene Mesquita, Universidade Federal do Amazonas

Licenciada em Geografia pela universidade do Estado do Amazonas - UEA. Mestra pela Universidade Federal do Amazonas-UFAM. 

Referências

AMARAL, S. et al. Comunidades ribeirinhas como forma socioespacial de expressão urbana na Amazônia: uma tipologia para a região do Baixo Tapajós (Pará-Brasil). R. bras. Est. Pop., Rio de Janeiro, v. 30, n. 2, p. 367-399, jul./dez. 2013.

CASTELLS, M. A sociedade em Rede. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

DOLLFUS, O. O espaço Geográfico. 4 ed. São Paulo, 1982.

HARRIS. M. Presente ambivalente: uma maneira amazônica de estar no tempo. In: ADAMS. C. et al. Sociedades caboclas amazônicas: modernidade e invisibilidade. São Paulo: Annablume, 2006.

HOBSBAWM, E. Pessoas Extraordinárias – Resistências, Rebelião e Jazz. 2ª edição, 1999.

KAUTSKY, K. A questão Agrária. Tradução: Otto Erich Walter Maas. Nova Cultura: São Paulo, 1986.

LEFEBVRE, H. A vida cotidiana no mundo moderno. Tradução Alcides João de Barros. Editora Ática S.A: São Paulo, 1991.

MARX, K. Formações Econômicas pré-capitalistas. Rio de Janeiro: Paz e terra, 2011.

MARQUES, M. M. A atualidade do uso do conceito de camponês. Revista Nera, ano 11, n. 12, Janeiro/Junho, 2008.

MONTE-MÓR, R. L. O que é o urbano, no mundo contemporâneo. Revista paranaense de desenvolvimento, Curitiba, n.111, p. 09-18, jul./dez, 2006.

MOREIRA, R. A formação espacial brasileira: contribuição crítica aos fundamentos espaciais da geografia do Brasil. 2ª ed. Consequência: Rio de Janeiro, 2014.

SHANIN, T. A definição de camponês: conceituação e desconceituação: o velho e o novo em uma discussão marxista. Estudos CEBRAP, n° 26, Editora vozes, 1980.

PAULINO, E. T. Por uma Geografia dos camponeses. São Paulo: Editora UNESP, 2006.

WANDERLEY, M. N. B. Raízes históricas do Campesinato Brasileiro. In: TEDESCO, João Carlos. Agricultura Familiar: realidades e perspectivas. 3 ed. Ed. UFP: Passo Fundo, 2001.
Publicado
2018-04-04
Como Citar
Situba, N. dos S., & Mesquita, M. (2018). MODO DE VIDA CAMPONESA: MUDANÇAS E PERMANÊNCIAS NA COMUNIDADE BOM JESUS NA ESTRADA DA EMADE –TEFÉ-AM/Mode of camponesa life: changes and permanences in the community Bom Jesus on the road of EMADE -Tefé/AM. REVISTA GEONORTE, 9(31), 106-115. https://doi.org/10.21170/geonorte.2018.V.9.N.31.106.115