Alguns apontamentos das práticas espaciais ao longo da BR-163 (Santarém-Cuiabá)

  • Thiago Oliveira Neto Universidade Federal do Amazonas, UFAM, Brasil.
  • Ricardo José Batista Nogueira UFAM
Palavras-chave: rodovia, práticas espaciais, porto.

Resumo

Os projetos do governo federal para a Amazônia no século XXI, no que tange à infraestrutura física de circulação, almejam a conclusão de objetos geográficos construídos e que não oferecem condições satisfatórias de trafegabilidade contínua. Uma das questões atuais envolvendo esses objetos é a pavimentação da rodovia BR-163, entre as cidades de Santarém (PA) e Cuiabá (MT). A implantação e o desenvolvimento desses projetos altera substancialmente o espaço geográfico em decorrência da construção de outros objetos associados à rodovia, que vão propiciar fluxos de veículos transportadores de grãos do centro-oeste e norte do Brasil via rio Amazonas, estabelecendo a realização de práticas espaciais pelas corporações nacionais e internacionais que estão inserindo na rota da rodovia um complexo de portos graneleiros.

Biografia do Autor

Thiago Oliveira Neto, Universidade Federal do Amazonas, UFAM, Brasil.

Graduado em Geografia pela Universidade Federal do Amazonas-UFAM, Mestrando em Geografia pela mesma universidade e bolsista CAPES.

Ricardo José Batista Nogueira, UFAM

Professor do Departamento de Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Amazonas-UFAM. 

Publicado
2017-05-15
Como Citar
Oliveira Neto, T., & Batista Nogueira, R. J. (2017). Alguns apontamentos das práticas espaciais ao longo da BR-163 (Santarém-Cuiabá). REVISTA GEONORTE, 8(28), 31 - 50. https://doi.org/10.21170/geonorte.2017.V.8.N.28.31.51