Empresas exponenciais: um estudo de caso sobre o clima organizacional

  • Taiz Regina Balardin Antonini UNOCHAPECÓ
  • Andrea Bencke Zambarda UNOCHAPECÓ
Palavras-chave: Organização exponencial. Clima organizacional. Equipes. Liderança.

Resumo

O objetivo deste estudo foi analisar as características do clima organizacional em uma empresa exponencial. A empresa escolhida para estudo foi a Renovigi Energia Solar, localizada no munício de Chapecó (SC). Trata-se de um estudo de caso, com pesquisa descritiva, com enfoque qualitativo, que teve como instrumento de coleta de dados entrevistas com roteiro semiestruturado para uma amostra intencional envolvendo alguns gestores e colaboradores. O estudo traz dados quanto a avaliação individual e percepção dos colaboradores acerca de diversos quesitos relacionados ao clima, estrutura organizacional, benefícios, vantagens e satisfação pessoal. Verificou-se que as percepções dos colaboradores são extremamente positivas, otimistas e estão alinhadas aos objetivos da empresa. Além disso, as condições de trabalho oferecidas pela empresa, suas características de gestão, bem como, os benefícios, a autonomia, as perspectivas e linhas de crescimento seguem modelos de empresa com características exponencias. Diferente das empresas tradicionais, os ambientes de trabalho e os meios de tecnologias utilizados para gestão e tomada de decisões são extremamente ágeis e modernos. Isso reflete nas condições de trabalho, nos planos salariais e metas desenvolvidas com cada colaborador. Identificou-se um clima positivo, com alto valor sentimental para os colaboradores, e que faz brilhar os olhos quando se fala em carreira e permanência na empresa. A tecnologia tem papel fundamental para o desenvolvimento diário das ações, inobstante a isso, identifica-se uma preocupação muito grande com as pessoas, suas competências e desenvolvimento, principalmente com sua satisfação e vontade em querer estar e permanecer fazendo parte dos times – assim definido pelos gestores.

Referências

Beuren, I. M. (2012). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade (3a ed.). São Paulo: Atlas.

Bergamini, C. W. (1997). Motivação nas organizações (4a ed.). São Paulo: Altas.

Chiavenato, I. (2010). Comportamento organizacional: a dinâmica do sucesso das organizações (2a ed.). Rio de Janeiro: Elsevier.

Dmitruk, H. B. (2012). Cadernos metodológicos: diretrizes do trabalho científico (8a ed.). Chapecó: Argos.

Drucker, P. F. (1962). A nova sociedade: anatomia do sistema industrial. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura.

Fernandes, J. A. T., & Rosa, C. R. (2013). O clima organizacional: um conceito motivador para redução do turnover. Contribuiciones a La Economia, 2013(8).

Gil, A. G. (2010). Como elaborar projetos de pesquisa (5a ed.). São Paulo: Atlas.

Hsieh, T. (2010). Satisfação garantida. Rio de Janeiro: Vida Melhor.

Ismail, S., Malone, M. S., & Geest, Y. V. (2019). Organizações Exponenciais. Por que elas são 10 vezes melhores, mais rápidas e mais baratas que a sua (e o que fazer a respeito). Rio de Janeiro: Alta Books.

Lakatos, E. M., & Marconi, M. A. (2011). Metodologia científica (6a ed.). São Paulo: Atlas.

Lemos, C. (2000). Inovação na Era do Conhecimento. Parcerias Estratégicas, 5(8), 157-180.

Luz, R. (2003). Clima organizacional. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Mascarenhas Bisneto, J. P., & Lins, O. B. S. M. (2016). Gestão da inovação: uma aproximação conceitual. Revista Brasileira de Gestão e Inovação, 3(2), 86-109.

Matos, F., & Lopes, A. (2008). Gestão do capital intelectual: a nova vantagem competitiva das organizações. Comportamento Organizacional e Gestão, 14(2), 233-245.

Maximiano, A. C. A. (2009). Introdução à Administração (6a ed.). São Paulo: Atlas.

Ambiente Energia. (2019). Michel Teló é contratado como embaixador da Renovigi Energia Solar. Recuperado em 10 outubro, 2020, de https://www.ambienteenergia.com.br/index.php/2019/03/michel-telo-e-contratado-como-embaixador-da-renovigi-energia-solar/35884

Minayo, M. C. S. (2001). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Rio de Janeiro: Vozes.

Oliveira, M. A. (2010). Comportamento organizacional para a gestão de pessoas: como agem as empresas e seus gestores. São Paulo: Saraiva.

Rachel, L. A., & Salomão, A. H. (2011). Cultura e clima organizacional como estratégias de Impacto no desempenho. Revista Eletrônica Machado Sobrinho, 4(2), 1-14.

Richardson, R. J. (2014). Pesquisa Social, métodos e técnicas (3a ed.). São Paulo: Atlas.

Robbins, S. P., Judge, T. A., & Sobral, F. (2010). Comportamento Organizacional (15a ed.). São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Santos, G. (2018). Organizações exponenciais: uma análise do desenvolvimento de startups na Incubadora Midi Tecnológico. Tese de doutorado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Silva, R. O. (2008). Teoria da administração. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Stewart, T. A. (1998). Capital intelectual. Rio de Janeiro: Campus.

Sveiby, K. E. (1998). A nova riqueza das organizações. Rio de Janeiro: Campus.

Tidd, J., & Bessant, J. (2015). Gestão da Inovação (5a ed.). Porto Alegre: Bookman.

Vecchio, R. P. (2009). Comportamento organizacional: conceitos básicos. São Paulo: Cengage Learning.

Publicado
2021-02-02
Como Citar
Balardin Antonini, T. R., & Bencke Zambarda, A. (2021). Empresas exponenciais: um estudo de caso sobre o clima organizacional. UFAM Business Review - UFAMBR, 3(1), 01-20. https://doi.org/10.47357/ufambr.v3i1.8600
Seção
Artigos