CONSCIÊNCIA DE SI A PARTIR DOS SENTIDOS: UM ESTUDO INTERSECCIONAL ENTRE NIETZSCHE E CONDILLAC

Autores

  • Aglaé Carneiro UFBA

Resumo

Considerando o tradicional questionamento filosófico sobre o surgimento da consciência de si no sujeito, e levando em conta o aporte usualmente separado das teorias nietzschianas e condillaquianas nos estudos acadêmicos sobre a temática, emerge o seguinte problema: surge a percepção de si (ou a autoconsciência) das sensações experimentadas pelos sentidos, através do corpo? Por meio de uma análise de dados qualitativa e uma metodologia bibliográfica, o presente trabalho se propõe a verificar, como objetivo geral, a possibilidade de aproximação entre os estudos de Nietzsche e de Condillac relativos à percepção de si (pela formação do conhecimento) e à autoconsciência. Os objetivos específicos propõe abordar a questão do surgimento da autoconsciência em Nietzsche e inserir os estudos sensoriais de Condillac na construção nietzschiana sobre a consciência cognitiva ou epistêmica. Para o referido trabalho, seria possível, como hipótese principal, criar uma teoria integrada entre os elementos trazidos por Nietzsche e por Condillac sobre a matéria, suposição que fora ratificada ao longo do artigo, com base em elementos teóricos aproximativos, tais como a existência de considerações similares entre ambos os autores, em certos casos, e argumentos opostos, porém, complementares, em outros. Além dos referidos autores-base (Nietzsche e Condillac), lastreou-se, a presente escrita, por construções teóricas de Kant, Hume, Leibniz, Locke, Schlimgen, Monzani, Falconet, Diderot e D’Alembert.

Downloads

Publicado

2022-07-02