A REDE COMERCIAL DO GUARANÁ E A MONOPOLIZAÇÃO DO TERRITÓRIO PELO CAPITAL NO MUNICÍPIO DE MAUÉS-AM/ The commercial network of guaraná and the monopolization of the territory by the capital in the municipality of Maués-AM

  • Luis Fernando Belém Costa Universidade Federal do Amazonas
  • Manuel de Jesus Masulo da Cruz Universidade Federal do Amazonas

Resumo

Este artigo apresenta uma pesquisa sobre as características da rede comercial do guaraná (Paulínia Cupana, var. Sorbilis) no município de Maués-AM, tendo como foco principal a relação entre os camponeses e o capital (AmBev). Para isso, foi necessário levar em consideração a atuação dos diferentes sujeitos sociais e instituições envolvidas nesse processo, como por exemplo, o papel da Embrapa, empresa pioneira na pesquisa com os clones de guaraná, bem como o papel dos atravessadores financiados pela AmBev, que compram o guaraná e estabelecem relações de integração junto aos camponeses, fazendo com que os mesmos estejam cada vez mais subordinados ao capital; subordinação que ainda inclui o fato do guaraná clonado ser conseguido por meio de financiamento junto aos Bancos e ao monopólio da AmBev. Porém, essa condição não significando o fim da autonomia camponesa, mas uma estratégia de reprodução social e econômica fundamentada na permanência da atividade camponesa do guaraná.

Publicado
2019-08-23
Como Citar
COSTA, Luis Fernando Belém; CRUZ, Manuel de Jesus Masulo da. A REDE COMERCIAL DO GUARANÁ E A MONOPOLIZAÇÃO DO TERRITÓRIO PELO CAPITAL NO MUNICÍPIO DE MAUÉS-AM/ The commercial network of guaraná and the monopolization of the territory by the capital in the municipality of Maués-AM. REVISTA GEONORTE, [S.l.], v. 10, n. 35, p. 133-151, ago. 2019. ISSN 2237-1419. Disponível em: <http://www.periodicos.ufam.edu.br/revista-geonorte/article/view/5406>. Acesso em: 15 nov. 2019. doi: https://doi.org/10.21170/geonorte.2019.V.10.N.35.133.151.