EDUCAÇÃO RIBEIRINHA E AS DIFERENTES POSSIBILIDADES DE CONTEXTUALIZAR O ENSINO DAS CIÊNCIAS NO LUGAR DE VIDA:DEBATES E REFLEXÕES/ Education Ribeirinha and the different possibilities of contexting the teaching Of Sciences in the Place of Life

DEBATES E REFLEXÕES

  • Hugo Levy Silva de Melo Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP
  • Roberto Greco Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP

Resumo

O ensino das ciências tem grande potencial para incluir as pessoas em um mundo repleto de informações e descobertas, mas perde-se no âmbito escolar quando não atende as necessidades do aluno; gerando desinteresse por não compreender a importância da ciência no seu espaço de vida. Esta pesquisa teve por objetivo fazer uma reflexão sobre a articulação entre o ensino das ciências e os saberes preexistentes na história de vida dos estudantes ribeirinhos; tendo em vista que acreditamos ser um grande equívoco pensar o ensino das ciências apenas nos moldes tradicionais, que desconsidere os conhecimentos e saberes prévios dos alunos. O estudo nos permitiu perceber, a necessidade de abrir espaços de diálogos de desconstrução e assim construir coletivamente uma proposta curricular multicultural e multidimensional para abarcar  os saberes vividos e praticados, no sentido de fortalecer a identidade cultural de cada estudante da escola ribeirinha de várzea, a partir do conhecimento do lugar de vida, oportunizando os mesmos a compreender melhor seu espaço, construindo e reconstruindo seus saberes dentro do laboratório natural que é a várzea.

Referências

ALMEIDA, Maria da Conceição. Complexidade, saberes científicos, saberes da tradição. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2010.
ARROYO, Miguel Gonzales; CALDART, Roseli; MOLINA, Mônica. Por uma educação do campo. Petrópolis: Vozes, 2004.
BRASIL. INEP. Panorama da educação no campo. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais/ MEC. Brasília, 2007. 44 p.
CONCEIÇÃO, Darinêz de Lima. A formação continuada de professores para a Afirmação dos direitos dos povos do campo à educação: uma análise da experiência do Programa Saberes da Terra da Amazônia Paraense. 2010. 217 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Estado do Pará, Belém,2010.
FREITAS, Maria Natalina Mendes. O ensino de Ciências em Escolas Multisseriadas na Amazônia ribeirinha: um estudo de caso no Estado do Pará. Monografia (Mestrado). Universidade Federal do Pará, Núcleo Pedagógico de Apoio ao Desenvolvimento Científico. Belém: [s.n.], 2005.
HAGE, Salomão Antônio Mufarrej; BARROS, Oscar Ferreira. Currículo e educação do campo na Amazônia: referências para o debate sobre a multisseriação na escola do campo. Revista Espaço do Currículo, v. 3, n. 1, 2009.
MERLEAU-PONTY. Fenomenologia da Percepção. 4ª ed. – São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.
MOTA NETO, J. C.; OLIVEIRA, I. A. de. Saberes da terra, da mata e das águas, saberes culturais e educação. In: Oliveira, I.A. de (Org.). Cartografias ribeirinhas: saberes e representações sobre práticas sociais cotidianas de alfabetizandos amazônidas. Belém: CCSE-UEPA, 2004. p. 53-66.
NOGUEIRA, Amélia Regina Batista. Percepção e representação gráfica: A “geograficidade” nos mapas mentais dos comandantes de embarcações no Amazonas. 1 ed. Manaus: EDUA, 2014. V.1. 222p.
PINHEIRO, Maria do Socorro Dias. Currículo e seus significados para os sujeitos de uma escola ribeirinha multisseriada do Município de Cametá - Pará. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Pará, Instituto de Ciências da Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Belém, 2009.
Publicado
2019-08-16
Como Citar
SILVA DE MELO, Hugo Levy; GRECO, Roberto. EDUCAÇÃO RIBEIRINHA E AS DIFERENTES POSSIBILIDADES DE CONTEXTUALIZAR O ENSINO DAS CIÊNCIAS NO LUGAR DE VIDA:DEBATES E REFLEXÕES/ Education Ribeirinha and the different possibilities of contexting the teaching Of Sciences in the Place of Life. REVISTA GEONORTE, [S.l.], v. 10, n. 35, p. 01-19, ago. 2019. ISSN 2237-1419. Disponível em: <http://www.periodicos.ufam.edu.br/revista-geonorte/article/view/5341>. Acesso em: 15 nov. 2019. doi: https://doi.org/10.21170/geonorte.2019.V.10.N.35.01.19.