CARACTERIZAÇÃO MORFOMÉTRICA E USO E OCUPAÇÃO DA TERRA DA MICROBACIA HIDROGRÁFICA DO RIO ÁGUA BRANCA DE ITABUNA-BA/ Morphometric characterization and use and occupation of the earth of the hydrographic microbasin of the Rio Água Branca of Itabuna-BA

Morphometric characterization and use and occupation of the earth of the hydrographic microbasin of the Rio Água Branca of Itabuna-BA

  • Samuel de Amaral Macedo Universidade Estadual de Santa Cruz
  • Mauricio Santana Moreau Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC
  • Pedro Enrico Salamim Fonseca Spanghero Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP

Resumo

Este artigo tem como objetivo a caracterização a morfometrica e mapeamento do uso e ocupação da terra da Microbacia Hidrográfica do rio Água Branca (MBHRAB). Para atender o objetivo, utilizou-se o Banco de Dados Geomorfométricos do Brasil disponibilizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e imagens Google Earth Pro de 2018 para alimentar o ArcGIS 10.2.2, gerar, organizar e atualizar a base cartográfica da área estudada. As características geométricas apontam que a MBHRAB não é susceptível a inundação em condições normais de chuvas e apresenta média densidade hidrográfica (Dh). O estudo do relevo demonstrou que mais de 65% da bacia não favorece o balanço de radiação solar e nem o escoamento superficial. O mapeamento do uso e cobertura da terra evidenciou que a maior área da bacia é formada pela classe mata/cacau. Foram mapeados 6 km de áreas prioritárias para reflorestamento. Uma delas vem sendo utilizada para plantio de mudas auxiliando o cumprimento das ações de revitalização da Bacia do Rio Água Branca.

Referências

Ab'Saber, A. N. Zoneamento ecológico e econômico da Amazônia: questões de escala e método. Estudos Avançados, São Paulo, v. 3, n. 5, p. 4-20, jan./apr. 1989.

BAHIA. Plano de Revitalização do Rio Cachoeira. Disponível: Acesso em: 2 out. 2017.

BELTRAME, A. V. Diagnóstico do meio ambiente físico de bacias hidrográficas: modelo de aplicação. Florianópolis: UFSC, 1994. 112 p.

BRASIL. Lei nº 9.433, de 8 de janeiro de 1997. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2017.

______. Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2017.

CARDOSO, C. A.; DIAS, H. C. T.; SOARES, C. P. B.; MARTINS, S. M. Caracterização morfométrica da bacia hidrográfica do rio Debossan, Nova Friburgo – RJ. Revista Árvore, Viçosa, MG, v. 30, n. 2, p. 241-248, 2006.

CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia fluvial: o canal fluvial. São Paulo: Edgard Blücher, 1981. 313 p.

DI LUZIO, M. et al. Arc view Interface For SWAT 2000: user`s Guide, Version 2002. Temple: Blackland Research Center, Texas Agricultural Experiment Station, 2002. 345 p.

DUARTE, C. C. et al. Análise fisiográfica da bacia hidrográfica do rio Tapacurá-PE. Revista de Geografia Recife, v. 24, n. 2, p. 50-64, 2007.

EMBRAPA, Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. Brasília: EMBRAPA, Produção de Informação; Rio de Janeiro: EMBRAPA Solos, 1999. 412 p.

FERREIRA, D. A. C.; DIAS, H. C. T. Situação atual da mata ciliar do ribeirão São Bartolomeu em Viçosa, MG. Revista Árvore, Viçosa, v. 28, n. 4, p. 617-623, 2004.

HORTON, R. E. Erosional development of streams and their drainage basins: hydrophysical approach to quantitative morphology. Geological Society of America Bulletin, v. 56, n. 3, p. 275-370, 1945.

IBGE. Senso demográfico de 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2017.

LANA, C. E.; ALVES, J. M. de P.; CASTRO, P. T. A. Análise morfométrica da bacia do Rio do Tanque, MG - Brasil. Revista Escola de Minas, Ouro Preto, v. 54, n. 2, p. 121-126, 2001.


LOLLO, J. A. O uso da técnica de avaliação do terreno no processo de elaboração do mapeamento geotécnico: sistematização e aplicação na quadrícula de Campinas. 1995. Tese (Doutorado em Geotecnia) - Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, SP, 1995.

MOREIRA, L.; RODRIGUES, V. A. Análise morfométrica da microbacia da Fazenda Edgárdia - Botucatu (SP). Eletrônica de Engenharia Florestal. Garça, SP, v. 16, n. 1, p. 9-21, 2010.

NUNES, F. G.; RIBEIRO, N. C.; FIORI, A. P. Propriedades morfométricas e aspectosfísicos da bacia hidrográfica do Rio Atuba: Curitiba-Paraná. In: Simpósio Nacional de Geomorfologia, 6., 2006, Goiânia. Anais... Goiânia: UFG, 2006.

OLIVEIRA, M. C. R. de. Relações ambientais da bacia do rio Cachoeira (Sul da Bahia). Ilhéus, BA: Editus, 1997. 112 p.

RODRIGUES, v. A. et al. Análise morfométrica da microbacia do Ribeirão das Araras-SP. Revista Científica Eletrônica de Engenharia Florestal, Garça, v. 21, n. 1, p. 25-37, 2013.

RIBEIRO, F. L. et al. Caracterização morfométrica da microbacia Água do Paredão Jataizinho, PR. XVII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto-SBSR, 2015.

SANTOS, A. M et al. Análise morfométrica das sub-bacias hidrográficas Perdizes e Fojo no município de Campos do Jordão, SP, Brasil. Revista Ambiente & Água, Taubaté, v. 7, n. 3, p. 195 211, 2012.

SCHUMM, S. A. Evolution of drainage systems and slopes in badlands at Perth Amboy, New Jersey. Geological Society of America Bulletin, v. 67, n. 5, p. 597- 646, 1956.

SEI. Geoinformação. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2017.

STRAHLER, A. N. Hypsometric analysis os erosional topography. Gel. Soc. America Bulletin (1952), 63, p 1117 – 1142.

TONELLO, K. C. et al. Morfometria da bacia hidrográfica da Cachoeira das Pombas, Guanhões – MG. Árvore, Viçosa, v. 30, n. 5, p. 849-857, 2006.

VILLELA, S. M.; MATTOS, A. Hidrologia aplicada. São Paulo: Mc Graw-Hill do Brasil, 1975.

WISLER, C. D.; BRATER, E. F. Hidrologia. Rio de Janeiro: Livro Técnico, 1964. 484 p.
Publicado
2019-07-03
Como Citar
MACEDO, Samuel de Amaral; MOREAU, Mauricio Santana; SPANGHERO, Pedro Enrico Salamim Fonseca. CARACTERIZAÇÃO MORFOMÉTRICA E USO E OCUPAÇÃO DA TERRA DA MICROBACIA HIDROGRÁFICA DO RIO ÁGUA BRANCA DE ITABUNA-BA/ Morphometric characterization and use and occupation of the earth of the hydrographic microbasin of the Rio Água Branca of Itabuna-BA. REVISTA GEONORTE, [S.l.], v. 10, n. 34, p. 82-99, jul. 2019. ISSN 2237-1419. Disponível em: <http://www.periodicos.ufam.edu.br/revista-geonorte/article/view/5208>. Acesso em: 15 out. 2019. doi: https://doi.org/10.21170/geonorte.2019.V.10.N.34.82.99.
Seção
Artigos