Alguns apontamentos das práticas espaciais ao longo da BR-163 (Santarém-Cuiabá)

  • Thiago Oliveira Neto Universidade Federal do Amazonas, UFAM, Brasil.
  • Ricardo José Batista Nogueira UFAM

Resumo

Os projetos do governo federal para a Amazônia no século XXI, no que tange à infraestrutura física de circulação, almejam a conclusão de objetos geográficos construídos e que não oferecem condições satisfatórias de trafegabilidade contínua. Uma das questões atuais envolvendo esses objetos é a pavimentação da rodovia BR-163, entre as cidades de Santarém (PA) e Cuiabá (MT). A implantação e o desenvolvimento desses projetos altera substancialmente o espaço geográfico em decorrência da construção de outros objetos associados à rodovia, que vão propiciar fluxos de veículos transportadores de grãos do centro-oeste e norte do Brasil via rio Amazonas, estabelecendo a realização de práticas espaciais pelas corporações nacionais e internacionais que estão inserindo na rota da rodovia um complexo de portos graneleiros.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Graduado em Geografia pela Universidade Federal do Amazonas-UFAM, Mestrando em Geografia pela mesma universidade e bolsista CAPES.

##submission.authorWithAffiliation##

Professor do Departamento de Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Amazonas-UFAM. 

Publicado
2017-05-15
Como Citar
OLIVEIRA NETO, Thiago; BATISTA NOGUEIRA, Ricardo José. Alguns apontamentos das práticas espaciais ao longo da BR-163 (Santarém-Cuiabá). REVISTA GEONORTE, [S.l.], v. 8, n. 28, p. 31 - 50, maio 2017. ISSN 2237-1419. Disponível em: <http://www.periodicos.ufam.edu.br/revista-geonorte/article/view/3507>. Acesso em: 15 out. 2019. doi: https://doi.org/10.21170/geonorte.2017.V.8.N.28.31.51.

Palavras-chave

rodovia, práticas espaciais, porto.