TERRITÓRIOS FLUIDOS: PERSPECTIVAS DE TERRITORIALIZAÇÃO DO CONTINENTE ANTÁRTICO

  • Matheus Sartori Menegatto
  • Geovana Scachetti Virgillito

Resumo

O Tratado da Antártida determina que o sexto continente seja um território de cooperação internacional capaz de excluir exercícios de soberania de qualquer natureza e, assim, assumir-se enquantoponto de partida para caracterizar novos princípios de apropriação político-espacial. Numa preocupação de captar o embate existente entre o territorialismo e o internacionalismo na gerência e utilização de terras do continente, bem como os motivos eminentemente geográficos de cada um dos lados, sente-se a necessidade de compreender a configuração espacial que se efetiva em tais terras austrais como a resultante de um confronto dialético por territorialização, (re)territorialização e (des)territorialização.
Publicado
2013-07-10
Como Citar
SARTORI MENEGATTO, Matheus; VIRGILLITO, Geovana Scachetti. TERRITÓRIOS FLUIDOS: PERSPECTIVAS DE TERRITORIALIZAÇÃO DO CONTINENTE ANTÁRTICO. REVISTA GEONORTE, [S.l.], v. 4, n. 12, p. 1713-1727, jul. 2013. ISSN 2237-1419. Disponível em: <http://www.periodicos.ufam.edu.br/revista-geonorte/article/view/1263>. Acesso em: 15 jul. 2019.

Palavras-chave

território; territorialismo; internacionalismo; configuração espacial; Sistema do Tratado da Antártida.