MIGRAÇÃO DE TRABALHADORES NORDESTINOS A PARAUAPEBAS

  • André Santos de Souza
  • Farid Eid

Resumo

Este artigo tem o objetivo de apresentar e discutir as relações de produção e trabalho carreadas a partir da migração de nordestinos rumo ao município de Parauapebas, no sudeste do Estado do Pará, os quais compõem significativamente pelo menos 70 mil atores sociais na dinâmica do território em questão, 60% deles como mão de obra em potencial. É possível entender como diferentes concepções de desenvolvimento na região e para a região amazônica, que historicamente é alvo de cobiça e marcada por conflitos, culminam na produção e na circulação do processo de acumulação capitalista, sem as quais haveria uma lacuna no elo entre as diversas instâncias que propiciam a migração de trabalhadores nordestinos em busca de emprego e de melhores condições de vida e seus respectivos papéis na divisão social e territorial do trabalho.
Publicado
2013-07-10
Como Citar
SANTOS DE SOUZA, André; EID, Farid. MIGRAÇÃO DE TRABALHADORES NORDESTINOS A PARAUAPEBAS. REVISTA GEONORTE, [S.l.], v. 4, n. 12, p. 1582-1599, jul. 2013. ISSN 2237-1419. Disponível em: <http://www.periodicos.ufam.edu.br/revista-geonorte/article/view/1254>. Acesso em: 15 jul. 2019.

Palavras-chave

Estado. Território. Migração. Trabalho. Parauapebas.