GOVERNANÇA TERRITORIAL EM AREAS DE FRONTEIRA O DESAFIO DA COOPERAÇÃO EM SAÚDE AMBIENTAL NA FRONTEIRA SANTANA DO LIVRAMENTO (BRASIL) E RIVERA (URUGUAI)

  • Maurício Pinto da Silva

Resumo

As políticas sociais e econômicas adotadas no Brasil nas últimas décadas não têm dado prioridade à relação entre saúde e ambiente. Esse modelo de desenvolvimento perpetua em muitos casos processos produtivos inadequados, provocando danos evitáveis à saúde humana e ao meio ambiente, cujos modos de apropriação e gestão estão profundamente relacionados aos processos civilizatórios passados e presentes. Nesse sentido, nas últimas décadas, nota-se, a instalação em escala global de uma profunda crise ambiental de repercussões sem precedentes sobre a vida no planeta e em especial sobre a qualidade da vida humana, em razão da nocividade dos modelos de desenvolvimento, dos padrões produtivos e de consumo. Os desafios a serem enfrentados permeiam toda a organização social, desde a produção, a distribuição e o consumo de bens e serviços até as formas de estruturação do Estado e suas políticas relacionadas à saúde ambiental.
Publicado
2013-07-10
Como Citar
PINTO DA SILVA, Maurício. GOVERNANÇA TERRITORIAL EM AREAS DE FRONTEIRA O DESAFIO DA COOPERAÇÃO EM SAÚDE AMBIENTAL NA FRONTEIRA SANTANA DO LIVRAMENTO (BRASIL) E RIVERA (URUGUAI). REVISTA GEONORTE, [S.l.], v. 4, n. 12, p. 1568-1581, jul. 2013. ISSN 2237-1419. Disponível em: <http://www.periodicos.ufam.edu.br/revista-geonorte/article/view/1253>. Acesso em: 17 jul. 2019.

Palavras-chave

Governança Territorial, fronteira e saúde ambiental.