BARRAGEM NO RIO GUAPIAÇU? CONFLITOS SOCIOAMBIENTAIS E ESTRATÉGIAS DE RESISTÊNCIA

  • Daiane Flores Paludo

Resumo

Grandes projetos de “desenvolvimento” têm sido implantados no território brasileiro alterando os modos de reprodução social de sujeitos que, por força do contexto socioeconômico, são desterritorializados através de práticas autoritárias de mobilidade compulsória. A possibilidade de construção de uma barragem-reservatório no Rio Guapiaçu, município de Cachoeiras de Macacu (RJ) prevê o alagamento das terras mais férteis da região, o que resultará em um déficit de produção agropecuária para o município e areas da região metropolitana. No bojo dessas mudanças socioeconômicas, nos cabe interrogar quais impactos socioambientais serão gerados pela construção da barragem, os tipos de conflitos, contradições e antagonismos que a possibilidade de implantação desse projeto tem provocado na região, quais estratégias têm sido articuladas pelos grupos socialmente hegemônicos para a implantação da barragem e, em contrapartida, pelos grupos subalternizados para impedi-la.

##submission.authorBiography##

Daiane Flores Paludo
UFF
Publicado
2013-07-10
Como Citar
PALUDO, Daiane Flores. BARRAGEM NO RIO GUAPIAÇU? CONFLITOS SOCIOAMBIENTAIS E ESTRATÉGIAS DE RESISTÊNCIA. REVISTA GEONORTE, [S.l.], v. 4, n. 12, p. 405 - 419, jul. 2013. ISSN 2237-1419. Disponível em: <http://www.periodicos.ufam.edu.br/revista-geonorte/article/view/1181>. Acesso em: 21 out. 2019.

Palavras-chave

grandes projetos; mobilidade compulsória; conflitos socioambientais; resistência social.