A A EDUCAÇÃO COMO MECANISMO DE ORGANIZAÇÃO POLÍTICA DOS PESCADORES DA COLÔNIA DE PESCADORES EM AUTAZES-AM 07.

  • Liliane Lacerda Fleuri Centro Universitário do Norte

Resumo

A educação como mecanismo para a organização política dos pescadores da Colônia de Pescadores AM-07 em Autazes-AM, é um debate significativo para compreender a ação política dos pescadores no Amazonas. Para tanto, os objetivos se pautaram em estudar a educação como instrumentalidade para organização política dos pescadores, considerando que a história de organização política dos pescadores que marca a luta pelo direito do uso dos recursos pesqueiros e o acesso a bens e serviços sociais. Além disso, caracterizar o perfil educacional dos pescadores da colônia AM-07, na busca de identificar se a formação educacional contribui para o fortalecimento da organização política. Dessa forma, o estudo se desenvolveu-se por meio de pesquisas bibliográfica, documental e de campo, onde analisou-se os dados coletados numa perspectiva crítica. Com isso, os pescadores passam a encontrar na organização política uma estratégia de acesso os recursos pesqueiros, assim como identificou-se através das pesquisas, que a educação se apresenta como fortalecimento da organização política dos pescadores do município, uma vez que esta influencia nesse processo, sobretudo no diálogo com o poder público e nos espaços de tomada de decisão.

Referências

ARROYO, M. G. Educação e exclusão da cidadania. In: BUFFA, E. et al. Educação e cidadania. Quem educa o cidadão? 5. ed. São Paulo: Cortez, 1995. p. 31-80.
BEHRING, E. R.; BOSCHETTI, I. Política Social: fundamentos e história. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2009.
BOGO, A. (Org.). Teoria da Organização Política: escritos de Engels – Marx –Lênin – Rosa – Mão. São Paulo: Expressão Popular, 2005.
BRASIL, MEC. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. 2013.
CALDART, R. S. Pedagogia do movimento sem-terra. São Paulo: Expressão Popular, 2004.
CAMPOS, A. J. T. Movimentos sociais de pescadores da Amazônia. In: FURTADO, L.; LEITÃO, W.; MELLO, A. F. Povos da
Águas: realidade e perspectiva na Amazônia (Org.). Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi.
CHAVES, M. P. S. R. As condições de Vida e de Uso dos Recursos pelos moradores do Parque Nacional do Jaú. In: Janelas para a Biodiversidade no Parque Nacional do Jaú: uma estratégia para o estudo da biodiversidade na Amazônia. FVA, Manaus, 2004. p. 63 a 78.
DEMO, P. Pobreza Política: 6. ed. Campinas/SP: Coleção Polêmicas do nosso tempo; v.27, 2001.
FREIRE, P. Educação como prática da liberdade, 1966.
FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1997.
GARCIA, R. L. A busca da coerência: reflexões sobre a produção do GT Educação Popular. Revista Brasileira de Educação – ANPED. Set/Out/Nov/Dez 2001 Nº 18.
GOHN, M. G.. Educação não-formal e cultura política: Impactos sobre o associativismo de terceiro setor. 3.ed- São Paulo, Cortez, 2005.
LIBANEO, J. C. Buscando a qualidade social do ensino. In: Organização e Gestão da Escola : Teoria e Prática. Goiânia: Editora Alternativa, 2001. (p. 53 – 60).
MELLO, A. F. de. Movimentos sociais na pesca. In: Boletim Museu Paraense Emílio Goeldi. Antropologia. v. 11, n. 1, junho. 1995 (p. 19-39).
MÉSZÁROS, I. Educação para além do Capital. Tradução Isa Tavares. 2. ed. São Paulo: Bomtempo, 2008.
OLIVEIRA, M. F. G. A organização política dos pescadores ribeirinhos da comunidade de Tauarú-Taabatinga. Dissertação. Universidade Federal do Amazonas, 2007.
PIMENTA, L. F. M. Por uma nova Educação Rural voltada ao Desenvolvimento Regional Sustentável. 2002. Disponível em: . Acesso em: 17/04/2017.
RAMPAZO, L. Metodologia científica: para alunos dos cursos de graduação e pós-graduação. 3. ed. São Paulo: Loyola,2005. P. 17-27.
RIBEIRO, M. Educação para a cidadania: questão colocada pelos movimentos sociais. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 28, n. 2, p. 113-128, jul./dez., 2002.
SARLET, I. W. Dignidade da Pessoa Humana e os Direitos Fundamentais na Constituição Federal de 1988. 7. ed., Porto Alegre: Livraria do advogado, 2009.
SACHS, Ignacy. Desenvolvimento sustentável, bio-industrialização descentralizada e novas configurações rural-urbanas: os casos da Índia e do Brasil. IN: Gestão de Recursos Renováveis e Desenvolvimento: novos desafios para a pesquisa ambiental. 3. ed. Cortez: São Paulo, 2002. p.115 a 146.
SOUSA JUNIOR, J. Marx e a crítica da educação: da expansão liberal democrática à crise regressivo-destrutivo do capital. A parecida, SP: Ideias & Letras, 2010.
Publicado
2019-01-14
Como Citar
FLEURI, Liliane Lacerda. A A EDUCAÇÃO COMO MECANISMO DE ORGANIZAÇÃO POLÍTICA DOS PESCADORES DA COLÔNIA DE PESCADORES EM AUTAZES-AM 07.. Pesquisa e Prática em Educação Inclusiva, [S.l.], v. 1, n. 2, p. 229-244, jan. 2019. ISSN 2595-1920. Disponível em: <http://www.periodicos.ufam.edu.br/educacaoInclusiva/article/view/4205>. Acesso em: 25 abr. 2019.

Artigos mais lidos do mesmo autor

Obs.: Este plugin requer ao menos um plugin ou relatório de estatísticas para funcionar. Se seus plugins de estatísticas trabalham com mais de uma métrica, por favor selecione uma métrica principal na página de configuração disponível no painel do Administrador e/ou do Gerente do portal.